• Editora Sucesso

Causas e sintomas da candidíase


Mais comumente afeta o trato genital feminino, ocorre como um desequilíbrio da microbiota vaginal por conta de um distúrbio imunológico ou de microbiota bacteriana

De acordo com o ginecologista Dr. José Eleutério, doutor em Tocoginecologia pela UNICAMP e presidente da comissão nacional especializada de doenças infectocontagiosas da Febrasgo ( Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia), são diversos os fatores que podem influenciar o fungo a se reproduzir no organismo, como o uso de antibióticos, e até o clima, em especial em regiões quentes e úmidas. Outros facilitadores são situações de estresse e diabetes. “Alguns dos sintomas são um corrimento vaginal pastoso e branco, irritação, dor, vermelhidão e coceira na área”, afirma o especialista.

Para o diagnóstico, o quadro deve ser confirmado com exames microbiológicos como o exame a fresco, o Gram e até mesmo o exame de Papanicolau, além de cultura e exames de biologia molecular (que são mais sensíveis e específicos). Após confirmada, o tratamento usual é por via oral, particularmente em casos de pacientes com candidíase recorrente. Ainda pode ser combatida com o uso de cremes antifúngicos locais.


A despeito de a candidíase possuir cura, todo paciente deve tomar certos cuidados em sua rotina após diagnosticado. Esquivar-se do consumo de bebidas alcoólicas, não fumar, manter uma boa hidratação e evitar relações sexuais durante os primeiros dias de tratamento são essenciais para garantir boa recuperação, além de seguir uma dieta e fugir dos alimentos que possam desencadear os sintomas, como carboidratos simples e carnes processadas.

A maioria dos casos de candidíase, principalmente os ocorridos na região vaginal, é evitada com cuidados simples do dia a dia. Por isso, é importante manter uma higienização constante das partes íntimas, tanto nas mulheres quanto nos homens, assim como optar pelo uso de roupas com tecidos de algodão e evitar as mais justas.

Publicidade