• Editora Sucesso

Como me preparar para a Fertilização In Vitro?

Médico ginecologista da Clínica Origen de Medicina Reprodutiva, Marcos Sampaio, esclarece as principais dúvidas sobre a Fertilização In Vitro

Conhecida por oferecer as maiores taxas de sucesso dentre as técnicas de reprodução assistida, a Fertilização in Vitro (FIV), que se tornou conhecida em 1978 com o nascimento de Louise Brown -o primeiro bebê concebido a partir da técnica-, é utilizada como opção para diferentes causas de infertilidade, embora não seja indicada para todos os casos. Cabe ao médico especialista em reprodução humana indicar a FIV, após a realização de exames clínicos e físicos. Mas, uma vez decididas a recorrerem à técnica, as tentantes precisam seguir algumas recomendações a fim de elevar as chances de sucesso do tratamento. O médico da Clínica Origen de Medicina Reprodutiva, Dr. Marcos Sampaio, esclarece as dúvidas mais comuns às mulheres sobre a preparação para a FIV. Confira!





Quais exames o casal deve fazer antes de se submeter ao tratamento?

Uma vez indicado o tratamento, os exames são realizados para acompanhar/monitorar a resposta ovariana e do útero às medicações, como dosagens hormonais e a ultrassonografia. Alguns exames de sangue são realizados por exigência de Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).


A mulher precisa usar alguma medicação especial?

Sim. Existem hormônios específicos para estimular o crescimento de múltiplos folículos, para impedir a rotura dos folículos e para amadurecer os óvulos.


Após quanto tempo de tentativas a FIV é recomendada?

A FIV é indicada de acordo com cada caso. O tempo sem uso de métodos contraceptivos é um balizador para procura de ajuda e não indicador de FIV. Assim, mulheres com até 35 anos devem aguardar 1 ano antes de procurar ajuda e, acima dessa idade, devem aguardar 6 meses.


Qual a duração do tratamento de Fertilização in Vitro?

O tratamento dura, aproximadamente, de 15 a 20 dias


A mulher pode manter uma rotina normal durante o tratamento de FIV?

Sim. Aliás, não só pode como deve!! Pois isso não interfere nos resultados e ajuda a reduzir a ansiedade relativa à expectativa do tratamento.


Há necessidade de uma dieta especial?

Não. A dieta não interfere no resultado.


Existem efeitos colaterais?

Sim. Os mais comuns são um inchaço no baixo ventre e nas mamas. Algumas mulheres podem experimentar um enjoo também.


A partir dos 40 anos a mulher não pode mais fazer FIV?

Não é verdade. O que acontece é uma diminuição nas taxas de gravidez secundaria à diminuição na quantidade e piora na qualidade dos óvulos.


Quantos embriões são transferidos para o útero da mulher? Depende da idade e do desejo do casal. O limite é de 2 embriões até os 35 anos, 3 ate os 40 e 4 a partir dos 40 anos.


O que evoluiu de 1978 para cá? Muita coisa! Em especial a técnica de Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoides (ICSI), congelamento de embriões e óvulos e uso da técnica para Diagnóstico Genético Pré-Implantacional (PGD) para os casais com indicação específica.


6 visualizações0 comentário
Publicidade