• Editora Sucesso

Doação de leite humano ajuda na nutrição de recém-nascidos

Existem mais de 400 locais que recebem doações de leite humano no Brasil e a doação pode ser feita durante todo o ano


Primeira alimentação humana e fonte de nutrientes para funções biológicas, o leite humano é considerado o melhor alimento para os bebês, pois tem papel importante na proteção imunológica contra doenças infecciosas, na adequação nutricional e no desenvolvimento afetivo e psicológico. Para estimular a doação de leite materno, promover debates sobre a importância do aleitamento e da doação de leite humano, divulgar os bancos de leite humano nos estados e municípios, em 19 de maio é comemorado o Dia Nacional de Doação do Leite Humano, criado em 2015 por meio da Lei nº 13.227/2015.





"A doação de leite acaba sendo importante para a mãe e o bebê. Para lactante, pois ajuda no processo de lactogênese da mama, complementando o processo de desenvolvimento da mama que acontece com a amamentação. Para o recém-nascido que recebe o leite doado porque o leite humano é fundamental para a passagem de anticorpos para criança, evita o risco de doenças da infância, principalmente gastroenterocolite, interfere no aspecto imunológico, auxilia na nutrição adequada para que futuramente não seja pré-disposta a mais doenças, principalmente os recém-nascidos de alto risco: os prematuros, baixo peso", explica a Dra. Sílvia Piza, presidente da Comissão Nacional de Aleitamento Materno e consultora da Libbs farmacêutica.


Em tempos de pandemia do coronavírus, uma das preocupações é se a mãe que teve Covid-19 pode doar. "A orientação em relação ao coronavírus é a mesma em relação ao aleitamento materno. As mães lactantes que tiveram Covid-19 e que estão bem não precisam interromper o aleitamento materno, respeitando todas as condições de higiene. No caso de leite que vai para o banco, ele passa por todo um processamento que inativa os microrganismos patogênicos. Então, estando ela em condições, não existe problema em relação à doação", esclarece a especialista.


Dra. Sílvia reforça ainda sobre a importância da manutenção dos estoques de leite nos bancos, pois qualquer quantidade doada faz diferença. Segundo Ministério da Saúde, 200 ml de leite materno pode alimentar até 10 recém-nascidos. "Na fase que se encontra a pandemia e com agravamento da saúde, observa-se uma diminuição de doações. É muito importante que quem pode doar, contribua para manter os estoques de leite humano, pois ele é o melhor alimento para o bebê, principalmente para os que têm comorbidades, prematuros, baixo peso, entre outros".


Para doar, basta ser saudável e não estar usando nenhum medicamento que interfira na amamentação. Confira algumas dicas do Ministério da Saúde para realizar a doação de leite materno:


Preparo do frasco para guardar o leite materno:


• Lavar um frasco de vidro de boca larga com tampa de plástico (do tipo café solúvel), retirando o rótulo e o papel de dentro da tampa;

• Colocar o frasco e a tampa em uma panela, cobrindo-os com água;

• Ferver por 15 minutos, contando o tempo a partir do início da fervura;

• Escorrer, com a abertura voltada para baixo, sobre um pano limpo até secar;

• Fechar o frasco sem tocar com a mão na parte interna da tampa. O ideal é deixar vários frascos preparados.


Higiene pessoal antes de iniciar a coleta do leite materno:


• Usar uma touca ou um lenço para cobrir os cabelos;

• Colocar uma fralda de pano ou uma máscara sobre o nariz e a boca;

• Lavar as mãos e os braços até o cotovelo com bastante água e sabão;

• Lavar as mamas apenas com água;

• Secar as mãos e as mamas com toalha limpa.




Local adequado para retirar o leite materno:


• Escolher um lugar confortável, limpo e tranquilo;

• Forrar uma mesa com pano limpo para colocar o frasco e a tampa;

• Evitar conversar durante a retirada do leite.


Como retirar o leite das mamas:


• Massagear as mamas com a ponta dos dedos, fazendo movimentos circulares no sentido da parte escura (aréola) para o corpo;

• Colocar o polegar acima da linha em que acaba a aréola;

• Colocar os dedos indicador e médio abaixo da aréola;

• Firmar os dedos e empurre para trás em direção ao corpo;

• Apertar o polegar contra os outros dedos até sair o leite;

• Desprezar os primeiros jatos ou gotas;

• Abrir o frasco e coloque a tampa sobre a mesa, forrada com um pano limpo, com a abertura para cima;

• Colher o leite no frasco, colocando-o debaixo da aréola. Após terminar a coleta, feche bem o frasco.


Como guardar o leite materno coletado:


• Anote na tampa a data e a hora em que realizou a primeira coleta do leite e guarde o frasco fechado imediatamente no freezer ou no congelador;

• Se o frasco não ficou cheio, você pode completá-lo em outro momento;

• Para completar o volume de leite no frasco já congelado, utilize um copo de vidro previamente fervido por 15 minutos. Após a fervura, escorra-o, com a abertura voltada para baixo, sobre um pano limpo até secar.

• Colocar o leite recém-extraído sobre o que já estava congelado até faltarem dois dedos para encher o frasco, guardando-o imediatamente no freezer ou no congelador.

Para dúvidas e informações, a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano disponibiliza em seu site a localização de dos 222 bancos de leite humano e 220 postos de coletas espalhados pelo Brasil, além de orientações sobre a importância do leite materno e da doação. Basta acessar: https://rblh.fiocruz.br/.


10 visualizações0 comentário
Publicidade