• Editora Sucesso

Estresse x Queda de cabelo: pior momento da pandemia até agora pode ser um dos motivos da alteração

Dermatologista explica a ligação entre as queixas e pontua tratamentos


Um ano após o início da pandemia do Covid-19, vivenciamos o pior período da doença no Brasil. O número de casos aumentado cada dia mais, a expectativa pelo plano de vacinação, a esperança de dias melhores que parece não chegar, todos esses fatores - somados a correria do dia a dia e as preocupações habituais - elevam nosso nível de carga emocional e estresse. Como já se sabe, o estresse provoca diversas alterações no nosso corpo. Uma dessas reações do nosso organismo é a queda de cabelo. A queda de cabelo por estresse acomete de 1 a 2% da população, em situações normais, e afeta homens e mulheres de todas as idades.



A médica Carla Nogueira, dermatologista explica que essas variações de carga emocional podem alterar o sistema hormonal, enfraquecendo os fios. "É necessário uma avaliação de um especialista. Existem vários fatores que podem levar a um quadro de queda, como doenças autoimunes, alterações hormonais, entre outras questões. Mas só quem pode avaliar caso a caso, é o médico", alerta Dra. Carla. O estresse agudo eleva as taxas de cortisol no organismo, o que também leva a queda dos fios. "Quando o cérebro é obrigado a permanecer constantemente alerta, há uma maior demanda de vitaminas e proteínas, deixando os fios sem receber os nutrientes que eles precisam para se manter saudáveis", explica.


A boa notícia é que, além do tratamento emocional, existe a reposição dessas vitaminas de forma assertiva. "Através da microinfusão de vitaminas diretamente no couro cabeludo, conseguimos reabastecer os folículos com as vitaminas e assim, devolver a saúde aos fios", avalia a dermatologista. A médica finaliza explicando ainda que, a infusão no couro cabeludo é muto mais eficiente e segura do que a ingestão oral dessas substâncias.

5 visualizações0 comentário
Publicidade