• Editora Sucesso

Mioma uterino, você sabia que há possiblidade de tratar sem retirar o útero?

Miomas são tumores benignos geralmente dependentes de estrogênio, e até 50 % das mulheres tem ou terão miomas em algum período de suas vidas


O cirurgião vascular Josualdo Euzébio da Silva explica que os miomas uterinos podem causar dor, perda de sangue aumentada no período menstrual, e podem causar compressão da bexiga podendo levar a perda espontânea de urina, dor durante relações sexuais, prisão de ventre, dificuldade de engravidar ou manter gestações.


“A ginecologia é a especialidade médica que melhor irá te orientar sobre o melhor tratamento dependendo de alguns fatores. Miomas são tumores benignos geralmente dependentes de estrogênio, e até 50 % das mulheres tem ou terão miomas em algum período de suas vidas”. Dr. Josualdo Euzébio cita as opções de tratamento: administração de hormônios, cirurgia aberta convencional com retirada do útero ou dos miomas, cirurgias laparoscópicas ou por técnicas minimamente invasivas endovasculares com a embolização das artérias uterinas e redução dos miomas.



A embolização de artérias uterinas para tratamento do mioma é realizada há 30 anos e visa interromper o fluxo sanguíneo arterial, causando a degeneração do mioma. A técnica consiste em um pequeno furo na virilha ou no braço, por onde são inseridos os cateteres, ate a artéria nutridora do mioma, sendo injetado micropartículas que ocasionarão a oclusão arterial e interrompendo o fluxo de sangue para o mioma, com redução do mioma.


A embolização de artérias uterinas é um procedimento minimamente invasivo com alta precoce e retorno as suas atividades. Dr. Josualdo Euzébio é muito enfático em afirmar que a indicação do tratamento e modalidade do tratamento do mioma é realizado pelo ginecologista, e no caso de embolização após o procedimento você continuará tratando com seu ginecologista.

6 visualizações0 comentário
Publicidade