• Editora Sucesso

Obesidade infantil pode ser evitada com acompanhamento prévio

Especialista destaca hábitos para que a doença não afete a saúde das crianças

A obesidade infantil é uma doença cada vez mais frequente na sociedade moderna. Maus hábitos alimentares aliados ao sedentarismo, muitas vezes acarretam no problema grave para as crianças. Mas, pequenas mudanças na rotina de pais e filhos podem afastar a doença, o que inclui as consultas regulares ao pediatra.

O primeiro sinal da obesidade infantil é o aumento do peso. Além disso, efeitos gradativos no aparelho cardiovascular, que vão da hipertensão arterial à obstrução gradativa de vasos, a esteatose hepática, e outras comorbidades. Além disso, geralmente são consequências da doença as questões psicológicas, como a redução da autoestima e, em casos extremos, maior exposição ao bullying.

Habitualmente as famílias deixam de levar os filhos para as consultas de rotina e por isso a obesidade vem se tornando o fenômeno que estamos vivendo no mundo todo, associada a piores hábitos alimentares e ao sedentarismo determinados pela vida moderna. Parece simples, mas a visita regular ao pediatra é a principal responsável pelo monitoramento da saúde das crianças – comenta a pediatra Carla Dall Olio, Coordenadora Médica da Pediatria do Hospital Barra D’Or.

Nas consultas médicas são realizadas as triagens clínicas, onde as crianças além de examinadas são pesadas e medidas. A conexão destes fatores previne e identifica previamente doenças. Dependendo do caso, são solicitados exames complementares e, diante dos resultados os pequenos podem ser encaminhados para o acompanhamento com o endocrinologista e o nutricionista.


Melhor que cuidar de uma doença é sempre a preveni-la.

A obesidade infantil pode ser evitada com qualidade da alimentação e prática frequente de atividades físicas. Preferir alimentos frescos, mais frutas e legumes descascados e menos embalagens e conservantes já é uma grande ação. Fazer caminhadas em família ao ar livre, andar de bicicleta, nadar... mexer o corpo sempre que possível também ajudam a prevenir o problema. Controlar o tempo de uso de internet e videogames, realizar atividades ao ar livre jogando bola ou brincando de pique são bons exemplos. É fundamental não deixar de levar seus filhos entre 5 a 10 anos ao pediatra pelo menos uma vez por ano para prevenir e atuar antes que a obesidade se desenvolva – destaca a especialista.

2 visualizações
Publicidade