• Editora Sucesso

Que tal repaginar o quarto das crianças?

Aproveitar as férias para atualizar o ambiente dedicado para os pequenos de maneira rápida e funcional é uma boa saída, mas isto pode ser feito a qualquer momento, desde que você esteja disponível para fazê-lo



Férias escolares, 13º salário, mês do aniversário... Motivos para reformar o quarto dos filhos não faltam! Mas, e as ideias? A arquiteta Cristiane Schiavoni, do escritório Cristiane Schiavoni Arquitetura e Interiores, traz soluções que prometem agradar crianças, e os adultos também!

A primeira dica da arquiteta é incluir as crianças na tarefa, afinal, de nada adianta reformar o ambiente se ele não estiver de acordo com a personalidade e estilo dos pequenos. “Aproveite o tempo com as crianças para envolvê-las na reforma. Os pequenos podem ajudar com as escolhas das cores, por exemplo. Já os maiores conseguem ajudar a selecionar outros itens como papel de parede ou até mesmo os móveis maiores”, diz Cristiane.



O quarto do Gabriel, de apenas três anos, traz o tema super-herói nas luminárias e no nicho. Foto: Rafael Renzo.



Outra ideia da arquiteta para quem vai planejar o quarto dos pequenos é escolher uma decoração atemporal e que acompanhe o crescimento das crianças. “Deixe a decoração temática para os acessórios, como roupas de camas, almofadas e luminárias. Dessa maneira, quando a criança crescer ou enjoar daquele tema é possível trocar facilmente”, explica a arquiteta.


A Carol, de seis anos, adora reunir as amiguinhas para brincar. A disposição da cama e sofá cria um delicioso sofá para as crianças.

| Foto: Rafael Renzo.

Quando o assunto são os móveis, o item principal é a cama, que deve ter uma altura que garanta autonomia para a criança subir e descer sem dificuldade. A arquiteta dá outra dica importante: “Para quem tem espaço, vale a pena encostar a lateral da cama na parede. É só colocar as almofadas para criar um amplo sofá para reunir os amigos”.


Foto: Carlos Piratininga A escrivaninha foi posicionada ao lado da cama no quarto do Gustavo, servindo também como apoio lateral. Do outro lado, um baú foi posicionado para ajudar na organização.

Escrivaninhas também devem ser levadas em conta durante o projeto do ambiente, já que ter um espaço definido para os estudos ajuda a criar uma rotina e facilitar a concentração. Nesse contexto, também é fundamental se atentar ao tamanho da cadeira e mesa. “Lembre-se que para garantir o conforto e não prejudicar a coluna, a criança deve manter os pés apoiados no chão ou em um banco como apoio para os pés”.


As cores estão presentes no papel de parede e nos móveis do quarto do pequeno João. Nichos e baús ajudam na organização de livros e brinquedos.

| Foto: Sidney Doll

Crianças adoram cores. Para quem tem medo de ousar nos móveis, que são itens mais definitivos, basta adicionar cor no ambiente com tinta, adesivo ou papel de parede. “A tinta costuma ter um custo inferior aos papéis de parede e adesivos e permite criar grafismos. O papel de parede e o adesivo vinílico já trazem padronagens mais trabalhadas, como desenhos geométricos ou florais”, revela a arquiteta, que completa: “Para as crianças criativas, indico o uso de lousa, que tem o seu efeito garantido com tinta, aplicação de revestimento adesivo ou papel de parede. Lá os pequenos podem colocar a mão na massa e criar diferentes desenhos”, completa

Publicidade